[Infográfico] 70 Erros de Português que te fazem parecer um imbecil em seu blog

Saiba os mais famosos erros de português para não cometer 

Quem nunca sofreu com a ortografia da Língua Portuguesa e cometeu erros de português? Existem várias pessoas que não se comunicam através de um blog, com medo de cometer falhas em Gramática da Língua Portuguesa.

Com este infográfico você irá:

  • Aprender a escrita correta das palavras;
  • Se atentar aos próprios erros;
  • Nunca mais cometê-los novamente.

Para quem tem a pretensão de trabalhar em qualquer meio que envolva a internet é importante que possua uma gramática muito boa.

Um pequeno erro pode minar a autoridade de um texto na web, além de desconectar seu leitor do próprio texto, comprometendo também a sua credibilidade perante o leitor.

Através desse infográfico, trazemos os erros mais comuns cometidos na hora de redigir um texto, fique atento para não repeti-los.

>>>> BAIXE INFOGRÁFICO AQUI E TENHA UM MANUAL COMPLETO PARA NÃO COMETER ERROS DE PORTUGUÊS

70 Erros de Português que te fazem parecer um idiota em seu blog

 

1 – Mal | Mau

Errado: A luta entre o bem e omau nunca acaba.
Certo: A luta entre o bem e o malnunca acaba.

Errado: Esse cachorro é mal.
Certo: Ele cachorro é mau.

Esse Errado é bem fácil de se cometer e a explicação é simples. O “MAL” pode ser um advérbio ou substantivo, e é o oposto de “BEM”. Enquanto o “MAU” é um adjetivo, e o contrário de bom. Portanto nas frases acima, o “MAU” é um adjetivo e o “MAL” um substantivo.

2- Mas | Mais

Errado: Eu estou com fome, maisestou com preguiça de cozinhar.
Certo: Eu estou com fome, masestou com preguiça de cozinhar.

Outro Errado bem comum, “mas” é uma conjunção adversativa, você pode sempre substituir por palavras como: porém, contudo, no entanto; passando uma ideia de oposição.

E o mais pode ser um advérbio de intensidade ou uma conjunção aditiva, transmitindo uma ideia de quantidade e intensidade maiores ou de adição. Exemplo: Na promoção, aquele é o livro mais barato da livraria.

3- Concerteza | Com certeza

Errado: Semana que vem tem feriado concerteza.
Certo: Semana que vem tem feriado com certeza.

A pronúncia correta é “com certeza”. Concerteza não existe.

4- Porque e Porque

Errado: Não vou sair por que não tenho dinheiro.
Certo: Não vou sair porque não tenho dinheiro.

O “porque” junto é utilizado para frases afirmativas, explicativas ou causais. Exemplo: Você não vai ao cinema porqueestá sem dinheiro. E o “por que” separado é usado em frases intErradogativas ou quando pode ser substituído por “pelo qual” e suas variações. Exemplo: Por que você não vai ao cinema?

5- Porquê | Por quê

Errado: Gostaria de saber o por quê dessa algazarra.
Certo: Gostaria de saber o porquê dessa algazarra.

O “por quê”, separado e com acento, é utilizado no final de frases intErradogativas. Exemplo: Levantou só agora por quê? Já o “porquê”, junto e com acento, pode ser substituído em uma frase por termos conclusivos, como: razão, causa e motivo. Exemplo: O porquêda discussão não foi esclarecido até agora.

6- Agente | A gente

Certo: A gente tem uma festa para ir hoje.
Errado: Agente tem uma festa para ir hoje.

A gente é uma locução equivalente a “nós”, enquanto “agente” é um substantivo utilizado para nomear uma profissão.

7- Nada Haver | Nada a ver

Errado: Uma coisa não tem nada haver com outra.
Certo: Uma coisa não tem nada a ver com outra.

Haver é um verbo, tem o mesmo significado do verbo existir. O termo “nada a ver” se refere a uma afinidade entre duas ideias (mesmo que opostas).

8- Afim | A fim

Errado: Eu estou   afim   de uma pessoa que você conhece.
Certo: Eu estou a fim  de uma pessoa que você conhece.

“A fim”, separado, é uma locução que demonstra a finalidade ou o propósito de algo. Na linguagem informal, esse termo exprime a ideia de ter interesse pela pessoa no sentido romântico. Já o “afim” é um adjetivo, e geralmente é empregado para demonstrar uma afinidade entre duas ideias, é mais comum ser usado no plural. Exemplo: Para meu aniversário, convidarei parentes e afins.

9- Para mim | Para eu

Errado: O livro é para mim ler.
Certo: O livro é para eu ler.

“Para eu” deve ser utilizado sempre que o sujeito for seguido de um verbo no infinitivo que indique uma ação.

“Mim” é um pronome pessoal oblíquo tônico e deve estar sempre precedido por uma preposição, só será utilizado quando desempenhar a função de complemento em uma frase. Exemplo: Aquele livro é para mim, não para você.

10- Houve | Houveram

Errado: No mês de setembrohouveram muitas mudanças aqui na empresa.
Certo: No mês de setembrohouve muitas mudanças aqui na empresa.

O verbo haver no sentido de existir é invariável, isto é, não tem sujeito e, por isso, não flexiona para o plural, permanece no singular. Resultando na não conjugação do verbo.

“Houveram” não existe na língua portuguesa.

11- Há & Atrás | Há

Errado: dois meses atrás iniciamos o trabalho.
Certo: dois meses iniciamos o trabalho. – Ou – Dois meses atrás iniciamos o trabalho.

Não utilizamos o verbo “há” e “atrás” na mesma frase, ambos indicam passado, tornaria a oração redundante.

12- Há | a

Errado: A muito tempo em uma terra muito distante…
Certo: Há  muito tempo em uma terra muito distante…

Usa-se “há” quando o emprego do verbo haver é impessoal e não pode ser conjugado, é utilizado em expressões que indicam tempo decorrido, assim como o verbo fazer. Para saber em qual momento usar o “há” é só tentar substitui-lo em uma frase pelo verbo “fazer”, se a oração perder o sentido, utilizamos o “a”. Exemplo: Estamos a dez minutos de onde você está.

13- Entrar dentro | Entrar

Errado: Estão me chamando para entrar pra dentro  de casa.
Certo: Estão me chamando para entrar em casa.

Um erro muito comum cometido por todos é a redundância dos termos “entrar pra dentro”, “sair pra fora”, “subir pra cima”, “descer pra baixo”. São expressões que juntas são redundantes, é um pleonasmo, se você entra em algum lugar, obviamente é dentro ou se você sobe é pra cima.

14 – À | A

Errado: Faremos uma visita a Bahia. 
Certo: Faremos uma visita à  Bahia. 

O uso da crase é algo muito comum para os falantes da língua portuguesa, a crase pode ser explicada como a junção de duas preposições: a preposição “a” e o artigo feminino “a”. Existem regras para seu uso, como, ela só é empregada diante de palavras femininas. Utilizada em expressões que indiquem hora; antes de locuções adverbiais femininas que expressam ideia de tempo, lugar e modo. Não ocorre antes de palavra masculina.

Se nenhuma dessas regras forem aplicadas, não ocorre o uso da crase.

15- Haja | Aja

Errado: Haja de maneira civilizada com aquele homem.
Certo: Aja de maneira civilizada com aquele homem.

Haja remete-se ao verbo “haver”, enquanto “aja” é relativo ao verbo “agir”. Apesar da semelhança sonora e também ortográfica, há uma grande diferença nos significados de ambas as palavras.

16- Menos | Menas

Errado: Essa semana me deixou menas  cansada do que a anterior.
Certo: Essa semana me deixou menos cansada do que a anterior.

Menas não existe na língua portuguesa, enquanto menos geralmente é o oposto de “mais”.

17- Perca | Perda

Errado: Acabe com a perca de tempo ao comprar o produto que está na promoção.
Certo: Acabe com a perda  de tempo ao comprar o produto que está na promoção.

“Perca” é um verbo, enquanto “perda” é um substantivo. Ou seja, se puder ser inserido um artigo antes da palavra (uma perda, a perda) é perda com “d”.

18- Aonde | Onde

Errado: Não sei aondeé o lugar em que combinamos de nos encontrar.
Certo: Não sei onde é o lugar em que combinamos de nos encontrar.

“Onde” e “aonde” são palavras que indicam lugar. “Aonde” é um advérbio, e devido a preposição “a” de “aonde”, a palavra só deve ser utilizada quando transmitir a ideia de movimento e ligada a verbos, tais como: ir, chegar, dirigir, entre outros, pedem o uso de “aonde”. E “onde” é empregado em situações em que a ideia de movimento não está presente.

19-  Vem | Veem

Errado: Eles não vema hora de se encontrar novamente.
Certo: Eles não veema hora de se encontrar novamente.

Ambos são verbos. “Vem” (com um E só) é relacionado ao verbo “vir”, enquanto o “veem” (com dois Es) é conjugação de “ver”.

20-  Meio | Meia

Errado: Ela está meia doente, por isso não poderá comparecer hoje.
Certo: Ela está meio doente, por isso não poderá comparecer hoje.

Usa-se “meia” apenas no sentido de metade, ele varia de acordo com o termo ao qual se refere, pois é um número fracionário.

21- Em vez de | Ao invés de

Errado: Ao invés de mandar um e-mail para o meu chefe, irei telefonar.
Certo: Em vez de mandar um e-mail para o meu chefe, irei telefonar.

Para indicar apenas uma coisa no lugar de outra, usa-se “em vez de”, que também pode ser substituída pela expressão: no lugar de. Para mostrar opostos, vá de “ao invés de”.

22- Viagem | Viajem

Errado: Espero que vocês viagem muito durante o intercâmbio.
Certo: Espero que vocês viajem muito durante o intercâmbio.

Muito fácil de errar, “viagem” é substantivo, enquanto com “j” é verbo. O que podemos fazer então, é checar se dá para usar artigo (a ou uma): se der, a palavra é com g.

23- Demais | De mais

Errado: Você é de mais.
Certo: Você é demais.

O advérbio “demais” significa excessivamente, muito, é empregado na maior parte dos casos. A locução “de mais” equivale à expressão “a mais”.

24- Senão | Se não

Errado: Senãodormir vai acordar cansado amanhã.
Certo: Se  não  dormir vai acordar cansado amanhã.

“Se não” separado é uma união da conjunção “se” com o advérbio de negação “não”, use “se não” quando puder ser substituído em uma frase por “caso não” ou pode-se inserir alguma coisa entre o “se” e o “não”. Já o “senão” junto pode ser um substantivo ou no sentido de, “mas sim”, “do contrário” e “exceto”.

25- Anexo | Anexa | Em anexo

Errado: Segue anexo a foto de um roteiro para aprovação.
Certo: Segue anexa  a foto de um roteiro para aprovação.

A palavra “anexo” é um adjetivo que indica ligação, dessa forma, deve concordar com o substantivo que acompanha. Em anexo é uma forma invariável, é preferível evitar o uso, caso haja necessidade, utilize: no anexo.

26- Encima | Em cima

Errado: Pode colocar encima da mesa, por favor.
Certo: Pode colocar em cima da mesa, por favor.

A palavra “encima” vem do verbo “encimar” conjugado ou na terceira pessoa do singular do indicativo ou na segunda pessoa do singular do imperativo. Tem significado de “colocar em cima de”, “coroar”, “algo situado acima de”, “elevar”. Já a expressão “em cima” é um advérbio ou preposição e significa “na parte mais elevada” e é antônimo de “embaixo”.

27- Sessão | Seção

Errado: Você comprou ingressos para qual seção?
Certo: Você comprou ingressos para qual sessão?

Com “ç”, “seção” tem sempre a ver com uma divisão. E com “ss”, se refere a um evento que dura um tempo determinado (como cinema, palestra, etc).

28- Beneficente | Beneficiente

Errado: Vou a um evento beneficiente.
Certo: Vou a um evento beneficente.

A gramática correta é “beneficente”, a palavra “beneficiente” não existe na língua portuguesa

29- Embaixo | Em baixo

Errado: Tem uma meiaem baixo  da sua cama.
Certo: Tem uma meiaembaixo  da sua cama.

A forma certa de escrita da palavra é “embaixo”, escrito junto, quando se referir a um advérbio de lugar. O advérbio “embaixo” transmite uma ideia de algo que está em lugar inferior a outro: abaixo. A expressão “em baixo”, escrita de forma separada, existe, mas é usada apenas quando a palavra baixo assume a função de um adjetivo, caracterizando algo. Exemplo: Esta coluna está decorada em baixo relevo.

30- Eminente | Iminente

Certo: Darth Vader é uma personagem de filmes eminente na história do cinema.
Errado: Darth Vader é uma personagem de filmes iminente na história do cinema.

“Eminente” é algo importante e superior. Já “iminente” é algo imediato, que está por acontecer em breve. 

31- Meio-dia e meia | Meio-dia e meio

Errado: Agora é meio-dia e meio.
Certo: Agora é meio-dia e meia.

Meia é um numeral fracionário, por se tratar de hora, sempre utiliza-se “meia”. Portanto a forma correta é “meio-dia e meia”.

32- Por hora | Por ora

Errado: Por hora, o que podemos fazer é torcer para tudo dar certo.
Certo: Por ora, o que podemos fazer é torcer para tudo dar certo.

“Por hora”, com h, significa um intervalo de sessenta minutos. Já “por ora”, sem h, remete à por enquanto.

33- Obrigado | Obrigada

Errado: “Muito obrigado”, disse a moça.
Certo: “Muito obrigada”, disse a moça.

Concordância entre sujeito e adjetivo, como é um sujeito no feminino, o adjetivo também é. Ou seja: “obrigado” para quando for masculino, e “obrigada” para feminino.

34- Exceção | Excessão

Errado: Toda regra tem uma excessão.
Certo: Toda regra tem uma exceção.

A forma correta de escrita da palavra é “exceção”. A palavra “excessão” está errada. Devemos utilizar o substantivo “exceção” sempre que quisermos referir o ato de excetuar algo ou alguém.

35- Bastante | Bastantes

Errado: Há bastante  motivos para você viajar no feriado.
Certo: Há  bastantes  motivos para você viajar no feriado.

“Bastante” / ”bastantes” é um pronome indefinido e deve concordar com o verbo a que se refere, no caso de existir dúvida sobre qual usar, substitua por muito ou muitos.

36- A partir de | À partir de

Errado: À partir de setembro estarei em outro país.
Certo: A partir  de setembro estarei em outro país.

Não ocorre o uso da crase antes de verbos.

37- Desapercebidos | Despercebidos

Errado: Os erros passaram desapercebidos pelos analistas.
Certo: Os erros passaram despercebidospelos analistas.

“Despercebido” refere-se a algo que se não se nota, imperceptível. “Desapercebido” possui o sentido referente a desprevenido, desprovido de algo. 

38- A domicílio | em domicílio
Errado: O serviço contém a entrega a domicílio.
Certo: O serviço contém a entrega em domicílio.

No caso de entrega usa-se a forma “em domicílio”. A forma “a domicílio” é usada para verbos de movimento. Exemplo: Foram levá-lo a domicílio.

39- À prazo | A prazo

Errado: Vamos comprar à prazo.
Certo: Vamos comprar a prazo.

Não existe o uso de crase antes de palavra masculina.

40- Caiu em | caiu

Errado: O dólar caiu em 3% essa semana.
Certo: O dólar caiu 3% essa semana.

O verbo cair, assim como os verbos aumentar e diminuir, não admite a preposição “em” como complemento.

41- Descrição | Discrição

Errado: Ela age com descrição.
Certo: Ela age com discrição.

“Descrição” refere-se ao ato de descrever. E “discrição” significa ser discreto.

42- E nem | Nem

Errado: O funcionário não sabe escrever e nem ler.
Certo: O funcionário não sabe escrever nem ler.

A conjunção nem significa “e não”, portanto não há necessidade de acrescentar o “e” antes do “nem”.

43- Entre eu e ele | Entre mim e ele

Errado: Entre eu e ele existe amizade.
Certo: Entre mim e ele existe amizade.

Os pronomes pessoais do caso reto exercem função de sujeito (ou predicativo do sujeito) e não de complemento. Portanto o certo é: “mim e ele”.

44- Fazem | Faz

Errado: Fazem sete dias que estou empolgada com o final de Game of Thrones.
Certo:Faz sete dias que estou empolgada com o final de Game of Thrones.

O certo é “faz”. Sempre que for utilizar o verbo fazer para se referir a tempo decorrido ou indicação de fenômeno atmosférico, devemos utilizar apenas a sua forma conjugada no singular, porque ele se apresenta como verbo impessoal, sem sujeito.

45- Independente | Independentemente

Errado:Independente da proposta, minha resposta é não.
Certo: Independentemente da proposta, minha resposta é não.

“Independente” é adjetivo e “independentemente” é advérbio. A sentença em questão pede o advérbio.

46- Por causa que | Por causa de

Errado: Não fui a academia por causa que estava com dor de cabeça.
Certo: Não fui a academia por causa da dor de cabeça.

O certo neste caso é utilizar “por causa de” ou “porque”. “Por causa que” é muito usual na linguagem informal, mas os gramáticos vetam seu uso, e dão preferência ao “por causa de” ou ao “porque”.

47- Precisam-se | Precisa-se

Errado: Precisam-se de bons empregados.
Certo: Precisa-se de bons empregados.

Sempre que existir uma preposição depois do pronome “se” (de, por, para, com, em, etc.) não haverá plural, apenas singular. 

48- Preveram | Previram

Errado: Os meteorologistas preveram chuva no feriado.
Certo: Os meteorologistas previram chuva no feriado.

O verbo prever, sendo derivado do verbo ver, deverá ser conjugado tal como este. O mesmo acontece com os verbos antever e rever. Logo, se o Certo é dizer eles viram, é certo dizer eles previram.

49- Quantia | Quantidade

Errado: Informe a  quantia  exata de produtos no estoque.
Certo: Informe a  quantidade  exata de produtos no estoque.

Sabe-se que se utiliza “quantia” para dinheiro, e “quantidade” para objetos.

50- Retificar | Ratificar

Errado: O homem retificou as informações perante o juiz.
Certo: O homem ratificou as informações perante o juiz

“Ratificar” significa confirmar, reafirmar, validar, comprovar, autenticar. E “retificar” se refere ao ato de corrigir, emendar, alinhar ou endireitar qualquer coisa.

51- Zero horas | Zero hora

Errado: O novo modelo entra em vigor a partir das zero horas de amanhã.
Certo: O novo modelo entra em vigor a partir da zero hora  de amanhã.

Por analogia, a concordância de qualquer substantivo sucedendo o numeral zero deveria fazer-se com o substantivo no singular: zero valor, zero erro , etc. O certo seria, portanto, no caso da questão que aqui nos traz, dizer-se zero hora.

52- Aumentar ainda mais | Aumentar muito

Errado: Necessitamos  aumentar ainda mais  o número de clientes.
Certo: Necessitamos  aumentar muito  o número de clientes.

Aumentar já significar que é para mais, portanto colocá-lo na mesma frase é redundante.

53- Adequa | Adequada

Errado: O móvel não se adequa à sala
Certo: O móvel não é adequado à sala.

Adequar é um verbo defectivo, ou seja, não se conjuga em todas as pessoas e tempos. No presente do indicativo são conjugadas apenas primeira e segunda pessoa do plural: nós adequamos, vós adequais.

54- Comprimento | Cumprimento

Errado: Ela entrou na sala e não me comprimentou.
Certo: Ela entrou na sala e não me cumprimentou.

“Comprimento” está relacionado ao tamanho, à extensão de algo ou alguém. Enquanto “cumprimento” é relativo a dois verbos: cumprimentar e cumprir.

55- Dispor | Dispuser

Errado: Se ele disporde tempo, poderá vê-lo logo.
Certo: Se ele dispuser de tempo, poderá vê-lo logo.

A conjugação correta do verbo dispor, acompanha a conjugação do verbo pôr, e na terceira pessoa do singular no futuro do pretérito é se ele dispuser.

56- Guincho | Guinchamento

Errado: Após às 16h estacionar em frente à garagem está sujeito a guincho.
Certo: Após às 16h estacionar em frente à garagem está sujeito a guinchamento.

“Guincho” é o veículo que faz a ação, e “guinchamento” é o resultado desta ação, ou seja, a forma correta de se colocar em uma frase é guinchamento.

57- Maiores informações| Mais informações

Errado: Para obter maiores informações, acesse nosso site.
Certo: Para obter mais informações, acesse nosso site.

O termo “maior” é comparativo, não deve ser utilizado nesse caso. Portanto o certo é: mais informações.

58- Mão-de-obra | Mão de obra

Errado: A mão-de-obra naquela empresa é barata.
Certo: Amão de obra naquela empresa é barata.

Com palavras justapostas (uma após a outra) em que haja um termo de ligação (uma preposição ou conjunção) não se usa hífen.

59- O quanto antes | Quanto antes

Errado: Devo voltar ao trabalho o quanto antes.
Certo: Devo voltar ao trabalho quanto antes.

Antes da locução adverbial “quanto antes” não há necessidade de se usar o artigo “o”.

60- Responder o | Responder ao

Errado: Vou responder o email neste momento.
Certo: Vou responder ao email neste momento.

A regência do verbo responder, no sentido de dar a resposta, é sempre indireta. Ou seja, pede a preposição “a”. Porém, devido a ocorrência simultânea em dois complementos, quando usado sem preposição se refere a coisas (a/o) e quando se refere a pessoas é com preposição (ao).

61- Rúbrica | Rubrica

Errado: Coloque a sua rúbrica em todas as páginas deste relatório.
Certo: Coloque a sua rubricaem todas as páginas deste relatório.

Por ser uma paroxítona, a palavra “rubrica” não é acentuada.

62- Taxar | Tachar

Errado: Fui taxado de mentiroso.
Certo: Fui tachado de mentiroso.

“Taxar” e “tachar” são duas palavras homófonas, ou seja, têm o mesmo som, mas apresentam significados completamente diferentes. O verbo “tachar”, com ch, significa: “pôr tacha, atribuir defeito, acusar” e você pode usar sempre que estiver se referindo a uma qualidade negativa. Já “taxar” possui dois significados: estabelecer a taxa ou o preço de algo, e também é usada para qualificar, considerar ou avaliar.

63- Tem | Têm

Errado: Mariana e Luiz tem sete e oito anos, respectivamente.
Certo: Mariana e Luiz têm sete e oito anos, respectivamente.

As duas formas de escrever estão corretas, o único porém é que o verbo “ter” deve concordar como o sujeito da frase em número, ou seja, no singular ou no plural. Se fosse somente “Mariana tem cinco anos”, estaria certo porque está no singular. Quando há a necessidade do plural, o tem ganha o acento.

64- Quis | Quiz

Errado: Ela sempre quiz  sair com ele.
Certo: Ela sempre quis sair com ele.

A conjugação correta do verbo “querer” no pretérito perfeito do indicativo é “quis”, com “s”.

65-  Vir | Vier

Errado: Quando ele vir para a escola falaremos com ele.
Certo: Quando ele vier para a escola falaremos com ele.

As duas expressões estão corretas, mas não neste caso. Na frase acima deverá ser utilizado “vier” que está sendo conjugado o verbo vir e na expressão quando ele vir está sendo conjugado o verbo ver. 

66- A cores | Em cores

Errado: Este filme não é em preto e branco, é a cores.
Certo: Este filme não é em preto e branco, éem cores.

Este é um ponto polêmico, muitos estudiosos condenam o uso da expressão “a cores” enquanto outros a preferem. O mais usual, entretanto, é “em cores”.

67- Daqui a pouco | Daqui há pouco

Errado: Daqui há pouco anoitecerá e com certeza não poderemos seguir viagem.
Certo: Daqui a pouco anoitecerá e com certeza não poderemos seguir viagem.

O certo é dizermos: daqui a pouco, pois o “a”, neste caso, nos remete a algo que ainda está para acontecer, ou seja, denota um tempo futuro, e não passado, expressa por um tempo vindouro. Sendo assim, no intuito de conferir esse sentido à expressão, nunca opte pelo emprego do verbo haver.

68- A nível de | Em nível de

Errado: A votação será realizada a nívelnacional.
Certo: A votação será realizada em nível  nacional.

Utilizamos corretamente “a nível de” quando a preposição “a” está associada ao artigo “o”, significando “à mesma altura”. Mas destacando que “em nível de” só estará correta quando seu significado for: “de âmbito” ou “com status de”.

69- Com tigo | Contigo

Errado: Por que ela veio com tigo hoje?
Certo: Por que ela veio contigo hoje?

“Contigo” é um pronome, assim como: comigo, consigo, etc. O uso “com tigo” está errado porque não existe na língua portuguesa.

70- O óculos | Os óculos

Errado: Esqueci o óculos em casa hoje.
Certo: Esqueci os óculos  em casa hoje.

A concordância da palavra óculos é feita no plural, ou seja: meus óculos, os óculos.

71- Repetir de novo | Repetir

Errado: Professor, pode repetir de novo?
Certo: Professor, pode repetir?

É redundante, porque repetir já quer dizer que vai ser “de novo”.

Gostou do infográfico? Compartilhe com seus amigos para ajudá-los a não cometer erros em Gramática.

Inscreva-se em minha LISTA VIP e receba conteúdos gratuitos.

Junte-se a outros leitores inteligentes
Assine minha lista e receba conteúdo exclusivo


Sobre
Sou publicitária, apaixonada por Marketing Digital e pretendo ajudar você a alavancar seu negócio na Internet através de Marketing de Conteúdo. Entre em contato: (11) 9.8551-1442 ou lizandra@publicitariadigital.com.br
Entre em contato

Start typing and press Enter to search